Filmes

Aquaman

Aquaman

Nível Exemplar

Heroísmo e lutas épicas de tridentes

(Halloween) – Ação. Estados Unidos, 2018. De James Wan. Com Jason Momoa, Amber Heard, Willem Dafoe, Patrick Wilson, Dolph Lundgren, Yahya Abdul-Mateen II e Nicole Kidman. 2h23min. Distribuidora: Warner Bros. Classificação: 12 anos.

Aquaman é um filme muito bom! Ousado, honesto com suas intenções e bem feito dentro de um incrível senso de simplicidade. Portanto, não tenha preconceitos, vá assistir ao filme de boas, sem grandes expectativas, pra aproveitar o momento e a jornada, e você provavelmente vai experimentar aquilo a que o filme se propõe: diversão! Mas se você quiser olhar um pouquinho mais de perto, com um pouquinho mais de paixão cinéfila, você também verá o trabalho de um diretor habilidoso. James Wan, você tá de parabéns!

Normalmente gosto dos filmes da DC, apesar de terem seus problemas. Aquaman tem seus problemas também: o maior deles é que os efeitos visuais das cenas subaquáticas de vez em quando dão uma rateada e soam artificiais demais. O visual do filme, no geral, é bom e impressionante, mas por causa do excesso de computação gráfica, às vezes, dá problema e é fácil perceber quando isso acontece, quando os personagens começam a parecer menos live-action/mais CGI de videogame. Fora isso, o filme transcorre muito bem.

Pronto, comecei com os problemas pra me livrar logo disso. Agora quero falar do que realmente importa: as paradas fodas do filme!

Aquaman é bonito, muito bem filmado e dirigido, com muita ação, imaginativo, simples e divertido na trama. O Jason Momoa e a Amber Heard são carismáticos nos papéis de Arthur Curry e Mera.

Confesso que tenho um tremendo respeito pelo Aquaman por causa dos quadrinhos. Ele sempre foi um herói de primeira classe da DC, mas perdeu moral com o desenho animado Superamigos e acabou se tornando um alívio cômico eterno, que só ficou mais estigmatizado nos anos 2000 com as zoeiras do programa Frango Robô. Seus poderes de respirar debaixo d’água ou falar com peixes eram motivo de chacota por não serem especialmente intimidantes.

Demorou até o Aquaman recuperar o respeito geral, mas eu sempre gostei dele, apesar de já ter zoado ele junto com todo o resto do universo hahaha ué, já fui adolescente, faz parte! Nas HQs, contudo, ele sempre continuou com uma aura maior de respeitabilidade, especialmente nas histórias de Peter David, que ficou responsável pelo personagem durante boa parte dos anos 1990. David foi responsável por trabalhar muitos elementos da origem do Aquaman e da mitologia de Atlântida desde antes do dilúvio, e muitas dessas ideias podem ser facilmente percebidas como inspirações para o filme (como a subtrama de Atlan ou a rivalidade entre Arthur e seu meio-irmão Orm). Outros elementos, vieram da retomada do herói por Geoff Johns nos Novos 52, que incluem a história dos pais de Arthur, Tom Curry e Atlanna, e as aventuras do herói com Mera.

Aquaman pega tudo isso, e faz uma história de respeito. Os poderes de respirar debaixo d’água e falar com peixes? São emocionantes de ver, toda vez que ele os usa no filme. Pra mim, que sempre tive esse respeito por ele, vê-lo usando as “ondas” de quando fala com os peixes foi uma emoção especial, de arrepiar a pele. Deve ter sido divertido pra quem assistiu ao filme do meu lado, eu parecia uma criança, vibrava o tempo todo, batia palmas, falava uns palavrões de vez em quando hahaha Mas minha empolgação não foi só por causa das referências aos quadrinhos ou de ver um herói de que gosto bem representado na tela grande. Foi porque como cinema em si, como produção cinematográfica, Aquaman é um puta filme!

James Wan é conhecido por seu trabalho com terror, Jogos Mortais, Invocação do Mal, Sobrenatural, mas aqui ele mostra mais de sua habilidade para trabalhar com outros gêneros e mesclar ideias de gêneros diferentes em sua obra. É um filme de super-heróis, com muita ação e até certa ingenuidade típica das histórias do gênero. Ele coloca elementos de romance água com açúcar com Atlanna e Tom Curry, e é adorável! Nas cenas subaquáticas, quando revela a magnitude de Atlântida, ele aplica doses de ficção científica ~é tipo um cyberpunk embaixo d’água, rola até música de sintetizador na trilha sonora, sério, é muito foda! Há até o terror tão querido pelo diretor, que ele insere com as criaturas no Reino do Fosso, e o Karathen saído de algum tipo de pesadelo de H.P. Lovecraft (que aliás aparece em uma referência no filme logo no começo, no livro sobre a mesa na casa de Tom Curry). Sabe outra referência maneira de terror que está no filme? A Annabelle! Sim, ela está lá… e desafio você a encontrá-la. E se encontrar, fala aí nos comentários.

As partes de Arthur e Mera perseguindo o Tridente de Atlan nos levam pra uma aventura pulp meio rocambolesca estilo Indiana Jones, com direito a viagens no deserto, catacumbas perdidas e enigmas mirabolantes. E nesse meio do caminho, há ainda a sequência na Sicília. QUE. SEQUÊNCIA. FANTÁSTICA. Nessa parte é quando vemos o domínio de Wan sobre a câmera. As cenas de ação são ágeis, porém consistentes. A câmera raramente treme e, apesar de existir uma sensação de urgência, não há tanto a sensação de frenesi que muitos filmes de ação gostam de impor. Ele domina os movimentos dos personagens, faz planos-sequência, travellings, abre e fecha a câmera, cria imagens panorâmicas, transita e reveza entre as cenas de Aquaman e Mera enquanto correm e lutam, provoca um genuíno sentimento de PUTA QUE PARIU que sequência foda que eu tô vendo!

E no quesito ação, preciso falar especialmente das lutas de tridentes. QUE. LUTAS. Super bem coreografadas. Há uma ideia sutil de que os duelos de tridentes envolvem um misto de técnica marcial especializada e poder trazido pelo tridente utilizado. Um tridente habilidoso nas mãos de um combatente habilidoso é uma arma imbatível! As lutas são furiosas, com giros velozes e efeitos visuais pulsantes, cheias de impacto em cada golpe. E há vários tipos de luta, corpo a corpo, com armas improvisadas, com espadas. Mas nada, NADA, é tão sensacional como as lutas de tridentes. O filme cria valor também por isso. Pra quem gosta de uma boa história de duelos, arenas e ficção fantástica, é de encher os olhos! É raro ver combates bem feitos usando armas exóticas. Criar estilos de luta com tridentes e fazê-los funcionar com graça? É pra pouquíssimos.

Fazia tempo que eu não me empolgava tanto vendo um filme de super-heróis, provavelmente porque vi muitas coisas nesse universo aquático e isso me deixou fascinado. Gosto de ver essas camadas, desbravar esses conceitos e ambientações que deixam os filmes mais vibrantes, mais envolventes, MAIS HEROICOS. Aquaman é sem dúvida muitas coisas em um. E ouso dizer que saí mais empolgado de Aquaman do que saí de Mulher-Maravilha, e olha que gostei pra caramba de Mulher-Maravilha. Mas há algo de irresistível em Aquaman. O mar me chamou. Eu atendi.

Compartilhe este Post

Posts Relacionados



  • http://www.nivelepico.com/ Alan Barcelos

    Ela aparece na cena quando o Aquaman e a Mera tão indo pra nave no mar hahaha

    • http://www.id6457595.sexylceq.website ShijaStillTheSame

      alanbarcelos briefly

    • Marcos Fenix

      Sem spolier po!! rssss. Alan 3 estrelas eu daria 4, mas tudo bem, é um bom filme e esta sendo sucesso.

      • http://www.nivelepico.com/ Alan Barcelos

        Hahaha pô, respondi o comentário um tempão depois da estreia pra dar tempo :D Mas ainda é um spoiler leve hahaha. Então, eu me empolguei pra caramba com o filme, de verdade…mas dei 3 estrelas, porque apesar de ter sentido que saí mais empolgado do que saí de Mulher-Maravilha, analisando friamente, Mulher-Maravilha ainda é um filme maior, que vale 4 estrelas… e por comparação (que é algo que sempre levo em consideração nos meus critérios hahaha), achei mais válido dar 3 estrelas pra Aquaman. :)

Aperte o Play