Séries

O Vazio

O Vazio

Nível Heroico

Primeira Temporada

(The Hollow) – Fantástico. Estados Unidos, 2018. De Vito Viscom. Com Ashleigh Ball, Connor Parnall, Adrian Petriw, Mark Hildreth, Diana Kaarina e Nicole Oliver. Netflix. 10 episódios. 24 min.

A primeira imagem é de uma velha e ultrapassada máquina de escrever. Em seguida, vemos um adolescente acordar com forte dor de cabeça. Ele surpreende-se com a máquina ao seu lado. Surpreende-se mais ainda com outros dois adolescentes caídos ao chão; um jovem e uma garota. O cenário é um bunker em quatro paredes atijoladas. Um ralo. Um gerador de luz. Uma saída de ar. Apenas isso. À medida que os outros dois adolescentes vão acordando, eles se perguntam o que estão fazendo ali. E mais. Se perguntam quem são, pois nem seus nomes eles sabem mais. Apenas encontram, cada um, um papel com um respectivo nome anotado no bolso de trás de suas calças. Adam. Mira. Kai.

Assim começa a estranha aventura infantil O Vazio. Três adolescentes acordam em um bunker sem saber quem são, onde estão e como sair desse universo maluco. E para onde retornariam se não sabem quem são?

Com essa premissa pouco usual para uma série animada infantil, que abusa da metalinguagem como elemento principal da história, os personagens começam a entrar em uma aventura em constante questionamento a respeito de si mesmos, de quem os cerca e de suas ações. A série consegue, especialmente até a primeira metade de temporada, introduzir um clima de mistério e curiosidade pouco frequente em animações. Aos poucos, quando se define melhor em que tipo de aventura os personagens se encontram, esse clima de mistério é ligeiramente diluído. Porém, vale a pena acompanhar a série pela ousadia e boa execução da proposta.

Seus três personagens principais, Adam, Mira e Kai, são bem construídos. Aos poucos, enquanto eles vão descobrindo o mundo que existe ao redor deles, também descobrimos um pouco mais sobre suas personalidades e seus poderes. Eles são ajudados por um misterioso “Weird Guy”, um ser estranho que tem a capacidade de teletransportá-los para outros lugares em caso de perigo. Mas sempre a um preço.

Outro grande destaque da série animada é a interação entre seus personagens principais. Adam é o líder, sempre assertivo, sempre tentando resolver a situação. Mira é a menina sensível, mas sempre aguerrida, sempre lutando por seus companheiros. E Kai é o alívio cômico, sempre querendo se mostrar o mais esperto do grupo, mas sempre se envolvendo nas situações mais divertidas ao se colocar em risco.

Através de um mapa no qual se guiam, os três adolescentes vão, a cada episódio, percorrendo uma região do estranho mundo em que estão presos. Temos uma área desértica onde estranhos seres semelhantes a minotauros dominam; temos um episódio onde mortos-vivos dominam; em outro ambiente, somos apresentados a um quarteto que seria a representação dos Cavaleiros do Apocalipse. A partir deste cenário de fantasia conturbado, os personagens começam a questionar o que está acontecendo com eles: estão todos vivendo um sonho? Ou estariam todos mortos?

Criada por Vito Viscom, que roteiriza todos os episódios, e desenvolvido pela empresa canadense Happy Cartoons, O Vazio é uma série animada que não trata seu público infantil de forma simplista. Pelo contrário, oferece uma iniciação a questionamentos filosóficos interessantes: quem somos, onde estamos, por que fazemos o que fazemos? Ainda que, a partir da metade da temporada, a série perca o seu brilho justamente por encontrar uma saída para essas respostas, a contribuição para se pensar a série como referência para novos trabalhos ousados está dada.

E, assumindo a postura questionada de Adam, Mira e Kai… Será que essa saída encontrada para resolver a trama não foi algo simplesmente forçado pela empresa Netflix? Será que, no início da segunda temporada, eles não vão descobrir que aquilo que, ao final da primeira temporada, se apresentou como uma saída e resposta aos seus questionamentos, não era uma outra ilusão? Se Vito Viscom tiver a ousadia de fazer algo assim, periga dele ter conseguido realizar uma das séries animadas mais interessantes e mais questionadoras já feitas.

O Vazio Dell Freire
Compartilhe este Post

Posts Relacionados