Multiverso

Querido Diego,

Coluna Querido Diego, Feliz Natal

Chegou o primeiro Natal que vamos passar juntos. Depois de 9 meses de muita expectativa, você nasceu e trouxe uma felicidade difícil de explicar com palavras. O seu olhar que me segue, seu sorriso rápido, mas sincero, seu aconchego quando fica em meu colo, você não tem ideia do quanto tudo isso faz bem pra mim. É um sentimento de amor tão puro que faz esquecer todos os sacrifícios que criar um filho demanda. E apesar do todos os avisos de que minha vida iria mudar, de que não iria mais dormir direito, nada disso incomoda quando o momento realmente chega.

O que me pego pensando é em que mundo vou fazer você viver. Vejo tanta injustiça, tanta vontade de se dar bem em cima dos outros, que não consigo abandonar um sentimento de revolta toda vez que leio as notícias. Acabei por te jogar no meio desse furacão, e desde já te peço desculpas. Mas por isso mesmo, hoje escrevo estas palavras para você.

Meu filho, nunca deixe se dominar pelo medo. Cada vez mais é essa a política adotada por nossos governantes: assustar para impedir que as pessoas façam o que realmente desejam. É preciso sempre dar um susto para que eles possam dominar jogando com os temores de quem só quer viver sua vida em paz. Violência, terrorismo, ódio, vão o tempo todo gritar com você para que faça o que eles querem. Lembre-se disso sempre que tentarem te assustar ou te diminuir, e siga em frente.

Por outro lado, também não se deixe dominar pelo desejo. Vivemos em tempos em que ostentar felicidade se tornou obrigação. Você será sempre exigido a dar um sorriso e a mostrar que está bem. Mais uma vez, não acredite em quem for assim. As redes sociais desfilam falsa felicidade, mas a verdade é que vivemos uma crise de depressão. E a propaganda se utiliza disso para incentivar um consumismo desenfreado, trazendo a ilusão de que é gastando dinheiro que você vai se sentir bem.

Dinheiro é importante, mas ele é sempre um meio, não um fim. Eu adoro comprar livros, por exemplo, mas poderia ser roupa, comida, carros, etc. Nada disso chega perto do que é ter você no colo, olhando pra mim com atenção enquanto canto para você. E assim são os melhores momentos da vida: coisas simples que vivemos com quem amamos. Infelizmente, a sociedade valoriza demais os bens materiais, e muitos se tornam escravos dessa máquina de fazer e gastar dinheiro, como se fosse natural gastar toda nossa energia e saúde apenas para pagar por coisas que não precisamos de verdade.

O Natal é a comemoração do aniversário de Jesus Cristo, mas não é preciso ser cristão, e nem religioso na verdade, para seguir seus ensinamentos. Amar ao próximo, ter caridade, respeitar e defender os mais fracos, todos são exemplos de atitudes que deveríamos ter independente da religião. Todavia, muitas vezes é em nome desse mesmo Cristo que se justifica o contrário do que ele pregava: o ódio, o preconceito, a humilhação. Nunca dê ouvidos a esse tipo de discurso.

O sofrimento virá em alguns momentos, e sei que vai doer. E saber que não poderei fazer nada vai doer muito em mim também. Mas devemos enfrentar essas situações com serenidade, pois tudo é passageiro.

Encare a vida de peito aberto, e esteja disposto a amar. O bom do amor é que ele sempre nos devolve tudo o que damos para ele. Aprenda a apreciar os bons momentos da vida, valorize quem você gosta e que também gosta de você. A batalha é dura, mas vale a pena porque é nela que encontramos o amor. E o amor, como diz a canção, é tudo de que você precisa.

Eu te amo, meu filho, e nunca conseguiria imaginar o quanto isso me faz feliz.

Um feliz natal e um épico ano novo para todos!

Compartilhe este Post

Posts Relacionados



  • Rafael Luppi Monteiro

    Obrigado:-)

Resenhas Populares

Rogue One: Uma História de Star Wars

Rogue One: Uma História de Star Wars

It: A Coisa

It: A Coisa

Planeta dos Macacos: A Guerra

Planeta dos Macacos: A Guerra

Animais Fantásticos e Onde Habitam

Animais Fantásticos e Onde Habitam

Raw

Raw

Aperte o Play