Cultura Pop

Harry Potter faz 20 anos sem perder a magia

Harry Potter 20 anos

Era 1997 quando Joanne Rowling, mais conhecida como J.K. Rowling, lançou Harry Potter e a Pedra Filosofal. O sucesso foi tanto que, em 2001, chegou aos cinemas do mundo.

Em 20 anos, Harry Potter se tornou um fenômeno mundial que acompanhou o crescimento de toda uma geração. A saga, que inicialmente foi rejeitada por inúmeras editoras, tornou-se um dos livros mais vendidos da história. Quem não conhece o bruxinho que lutou contra “aquele que não deve ser nomeado”?

Harry Potter e a Pedra Filosofal é um dos primeiros filmes que eu me lembro de ter assistido no cinema. Eu tinha 6 ou 7 anos. O último filme, Relíquias da Morte: Parte 2, estreou quando eu tinha 17 anos. Comprei o ingresso para assistir no dia da estreia, dia 15 de julho de 2011 (sim, eu me lembro), cerca de dois meses antes. Em todos os lugares, víamos pôsteres com IT ALL ENDS HERE. Nesse ponto, já tinha devorado os livros que inspiraram os filmes, que inspiraram tudo isso.

E eu chorei quando acabou. Sempre tive a sensação de ficar órfã de livros e sagas. Foi assim com Percy Jackson e Jogos Vorazes. Mas quem nunca chorou com Harry Potter? Quando ele vê a coisa que mais deseja no espelho de Ojesed? Ou quando o Sirius e o Cedrico morrem? Ou quando Severo Snape respondeu “Sempre” depois de Dumbledore perguntar “Depois de todo esse tempo”? E toda a história dele? Sério? Nenhuma lágrima? Impossível!

E quando o Dobby e o Dumbledore… ok, prefiro nem continuar porque é uma dor que não sarou ainda.

Harry, Hermione e Ron nos ensinaram sobre amizade. Neville sobre coragem. Dumbledore sobre sabedoria. E Snape sobre amor. O que seria da literatura infanto-juvenil – e adulta também – se não fosse o bruxo?

Talvez ninguém saiba explicar o porquê do sucesso. E, com certeza, é difícil explicar como, mesmo 5 anos depois do último filme, na estreia de Animais Fantásticos e Onde Habitam, havia uma legião de fãs vestida a caráter para assistir a uma nova parte do universo criado por J.K. Rowling, um presente da autora ao decidir fazer algo que poucos tinham feito com tanta excelência antes.

Depois de sete livros e nove filmes – contando com o spin-off sobre Newt Scamander –, a franquia continua crescendo, virando parque de diversões e até mesmo musical para a Broadway. Com certeza, não existe uma fórmula ou explicação que justifique a proporção que a história ganhou ao longo dos últimos 20 anos. Mas uma coisa é certa, Harry Potter sempre terá um espaço em nossos corações.

Compartilhe este Post

Posts Relacionados