Multiversos

O Homem Que Caiu na Terra

Adaptação do romance homônio de Walter Tevis, história acompanha a jornada do alienígena Newton quando chega à Terra com a missão de levar água ao seu distante planeta natal, que sofre com uma terrível seca. Com a tecnologia avançada de seu planeta, ele se torna milionário com suas invenções na Terra e se torna dono de um conglomerado tecnológico que acaba por se tornar uma razão para sua ruína.

(The Man Who Fell to Earth) – Ficção Científica. Reino Unido, 1976.

De Nicolas Roeg. Com David Bowie, Buck Henry, Candy Clark e Rip Torn. 2h19min. Distribuidora: Zeta Filmes. Classificação: 14 anos.

Nível Épico

O Homem Que Caiu na Terra


Resenha – O Homem Que Caiu na Terra

O Homem que Caiu na Terra é relançado após 40 anos e parece ainda mais absurdo, exótico e fascinante. Nicolas Roeg é desinibido, sem amarras para aquilo que deseja mostrar em cena, e construiu um filme com deslocamentos narrativos e justaposições que remete ao estilo de Stanley Kubrick em 2001: Uma Odisseia no Espaço. David Bowie é deliciosamente envolvente em sua atuação como o alienígena Thomas Newton. Ele emana ingenuidade e gentileza de alguém que não nasceu na Terra e precisou conhecer e se adaptar ao mundo que, por anos, se transformou em sua casa. Ainda assim, Bowie mantém o tempo todo uma intrigante aura de estranheza emocional, que nos suga para o personagem, razão pelo qual ele se tornou tão marcante na carreira do artista.

A história se desenrola em uma ousada sequência de saltos narrativos. Newton sofre uma queda em uma cidade pequena onde faz amizade com a recepcionista de um hotel, Mary Lou (Candy Clark). Quando ele desmaia, ela precisa levá-lo para o quarto em uma sequência maravilhosa. A trama muda Newton em Nova York, onde ele usou seus conhecimentos superior e sua inteligência avançada para se tornar dono de uma grande corporação de energia e comunicação. Ele se tornou uma pessoa reclusa, engolido pelas necessidades cada vez maiores provenientes de se administrar uma empresa, e o único com quem tem mais contato é o químico Nathan Bryce (Rip Torn).

A natureza do filme nos apresenta Newton não como um predador sedento por consumir os recursos da Terra para salvar seu planeta. Ele, na verdade, deseja aprender com a Terra. Mas o aprendizado é difícil. Nós mesmos, os seres humanos, sentimos essa dificuldade todos os dias. Newton acaba vítima da voracidade do mundo dos negócios, mas ele não perde a sensibilidade de seu ser e de seus anseios, mesmo quando demonstra que algo se quebrou em suas emoções. O Homem que Caiu na Terra, assim como seu protagonista, permanece jovem enquanto todos ao redor envelhecem, e alguns de seus temas continuam fortes para a cultura de hoje em dia. O filme trata de questões sobre imigrantes, sobre a busca por inovação para manter a vida no planeta, sobre os males do mundo corporativo. Mas, acima de tudo, é sobre o próprio David Bowie e tudo o que ele representa para a história da música e do cinema.

O Homem Que Caiu na Terra

O Homem Que Caiu na Terra

O Homem Que Caiu na Terra

O Homem Que Caiu na Terra Alan Barcelos
Compartilhe este Post

Posts Relacionados



Dia do Hambúrguer

Arquivos do Blog

Blogs Favoritos

Blog Favorito

Blog Favorito

Blog Favorito