Séries

Fuller House 2

Fuller House - Segunda Temporada

Nível Heroico

Segunda Temporada

(Fuller House) – Comédia. Estados Unidos, 2016. De Jeff Franklin. Com Candance Cameron Bure, Jodie Sweetin, Andrea Barber, Michael Campion, Elias Harger, Soni Nicole Bringas, Dashiel Messitt, Fox Messitt e Juan Pablo Di Pace. Netflix. 13 episódios. 30min.

A família Tanner está de volta para mais uma temporada que mostra como D.J. (Candace Cameron Bure), Stephanie (Jodie Sweetin) e Kimmy (Andrea Barber) lidam com a vida adulta, porém, quanto mais velho se fica, mais rápido as coisas mudam, mais confusa fica a vida e mais complicado fica o amor e é essa a lição que o trio terá que aprender ao longo desta segunda temporada.

A segunda temporada de Fuller House começa com algumas novidades em relação à temporada anterior. A primeira foi a inclusão de Fernando (Juan Pablo Di Pace), o ex-marido e noivo de Kimmy Gibler, como parte do elenco fixo da série e não mais como um personagem esporádico. A outra novidade é que Stephanie ganha um par romântico: Jimmy Gibbler (Adam Hagenbuch), irmão caçula de Kimmy, cujo visual lembra demais o Michael Kelso de Ashton Kutcher na série That ’70s Show, só que mais malhado e bem menos imbecil, porém carregando a falta de noção característica dos Gibbler. Quanto à D.J., basicamente todo o desenvolvimento da personagem gira em torno da escolha entre seu ex-namorado Steve Hale (Scott Weinger) e seu sócio Matt Harmon (John Brotherton) e é justamente a hesitação da mais velha das irmãs Tanner que deixa a situação ainda mais complicada, pois, além de Steve e Matt terem virado melhores amigos, ambos aparentemente seguiram com suas vidas e até arrumaram novas namoradas.

As aparições do elenco da série original foram bem menores que na temporada passada, o que, por um lado, chega a ser um ponto positivo, pois, deixaram de ser o sustentáculo da série e abriram mais espaço para o desenvolvimento das protagonistas, afinal, o público-alvo da série já foi estabelecido na temporada anterior. Mesmo assim, as aparições de Danny (Bob Saget), Jessie (John Stamos), Joey (Dave Coulier), Becky (Lori Loughlin) e os gêmeos Nicky (Blake Tuomy-Wilhoit) e Alex (Dylan Tuomy-Wilhoit) foram bem pontuais e para reforçar a questão de como as coisas ficam mais difíceis à medida que envelhecemos e que, apesar de longe, os laços familiares ainda continuam fortes e que as moças podem sempre contar com eles. E, claro, não podia deixar de faltar uma indireta bem direta para tentar convencer às gemeas Mary Kate e Ashley Olsen a retornarem como Michelle Tanner, visto que tanto o criador Jeff Fraklin como o próprio John Stamos, que também é produtor de Fuller House, estão muito empenhados em trazê-las de volta, nem que seja para uma breve participação em um episódio. Vale lembrar que as Olsen estão bem relutantes em retornar desde o início da produção da série. Várias alternativas para trazer Michelle foram cogitadas mas o foco ainda é em Mary Kate e Ashley Olsen.

Justamente por conta do espaço dado para o desenvolvimento do trio de protagonistas, os roteiristas puderam ir mais fundo nas referências à série original e, inclusive, trazer de volta mais personagens que conviveram exclusivamente com as meninas como Gia (Marla Sokoloff), amiga da Stephanie que tentou “levá-la para o mau caminho”; os ex-pretendentes da D.J. Viper (David Lipper) e Nelson (Jason Marsden na série original e aqui vivido por Hal Sparks), a amiga/rival de D.J. Kathy Santoni (Anne Marie McEvoy) e até mesmo Duane (Scott Menville), ex-namorado da Kimmy que só tinha a palavra “whatever” em seu vocabulário. Falamos em aparições, vale destacar mais duas aparições: a da boy band New Kids On The Block em sua formação original e a de Alan Thicke, conhecido por seu papel como Dr. Jason Seaver da série Growing Pains e falecido no último dia 13 de dezembro.

No núcleo dos filhos de D.J. e Kimmy, Jackson (Michael Campion) e Ramona (Soni Nicole Bringas), aos poucos, vão deixando de lado à rivalidade e passam a se aceitar mais como “irmãos”, porém, cada um vive seus dramas particulares graças à entrada de ambos na adolescência, principalmente quando se trata de vida amorosa. Lola (Ashley Liao), amiga de Ramona e paixão de Jackson, passa a ter aparições cada vez mais recorrentes, ainda mais com o desfecho de sua personagem nos últimos episódios da temporada, e somos apresentados a Bobby Popko (Isaak Presley), amigo de Jackson dono de um chapeu Panamá e um ego enorme que acaba tendo um papel importante no desenvolvimento de um dos personagens desse núcleo. Já Max Fuller (Elias Harger), o caçula de D.J., ganha um pouco mais de destaque em relação à temporada anterior como a criança prodígio que tenta entender o mundo dos adultos que, às vezes, acaba sendo xarope demais. Seu ponto alto são os momentos em que tira sarro de Jackson por não entender qual a dificuldade que o irmão mais velho tem quando se trata de garotas.

A segunda temporada de Fuller House mantém a mesma pegada divertida e mais escrachada da temporada anterior com a essência da série original, entretanto, os autores precisam desenvolver novas tramas e arcos para as próximas temporadas, pois, situações como o triângulo amoroso de D.J., por exemplo, apesar de ter um tremendo plot twist nos últimos episódios, foi bem arrastada ao longo da temporada e deixa dúvidas se aguentaria mais um ano nesse ritmo. De qualquer forma, não há dúvidas de que Fuller House é um sucesso, visto que a série rendeu os prêmios no Teen Choice Awards nas categorias Melhor Série de Comédia e Melhor Atriz em Série de Comédia para Candace Cameron Bure.

Até o momento desta resenha, ainda não tínhamos nenhum tipo de confirmação de uma terceira temporada, entretanto, ao que parece, o criador da série Jeff Franklin dá sinais de que está com fôlego para produzir mais episódios. Um indício foi quando anunciou em sua conta no Instagram no início de dezembro a aquisição da casa cuja fachada representa o exterior do lar da família Tanner na série. “A casa foi posta à venda e, sério, eu tinha que comprá-la,”declarou. Franklin desconversa dizendo que comprou a casa por motivos sentimentais, mas deixa no ar a possibilidade de usá-la em episódios futuros.“Podemos aproveitar que agora a casa é minha e ir lá e fazer umas novas tomadas ou talvez levar o elenco para filmar lá.” Considerando que a rapidez com que foi renovada para a segunda temporada, não seria surpresa que o anúncio de uma nova leva de episódios seja feita muito em breve. O que nos resta é aguardar.

Fuller House 2 David Nery
Compartilhe este Post

Posts Relacionados