Filmes

Animais Fantásticos e Onde Habitam

História se passa em 1926 e segue Newt Scamander (Eddie Redmayne), um magizoologista britânico, quando chega à Nova York. Ele viaja pelo mundo para pesquisar e catalogar criaturas mágicas que são ainda incompreendidas pelos bruxos, e as carrega consigo em sua mala – para quem lembra da bolsa que a Hermione tinha, já fica fácil imaginar. – Mas após um incidente envolvendo o não-maj Jacob Kowalski (Dan Fogler), Newt se vê em apuros porque algumas das criaturas fogem. E ele precisa recapturá-las antes que elas causem grandes problemas. Durante a confusão, Newt é levado para as autoridades mágicas por Porpentina Goldstein (Katherine Waterston), uma ex-Auror que tenta recuperar seu cargo no Congresso Mágico dos Estados unidos após ter sido transferida para um setor menor por conta de um incidente que quase expôs o mundo bruxo. Mas o que acaba acontecendo é que Tina e sua irmã Queenie (Alison Sudol) se tornam aliadas de Scamander na captura das criaturas fugitivas.

(Fantastic Beasts and Where to Find Them) – Fantasia. Estados Unidos, 2016.

De David Yates. Com Eddie Redmayne, Katherine Waterston, Dan Fogler, Alison Sudol, Ezra Miller, Samantha Morton, Jon Voight, Ron Perlman, Carmen Ejogo, Jenn Murray, Faith Wood-Blagrove e Colin Farrell. 2h13min. Distribuidora: Warner Bros. Classificação: 12 anos.

Nível Épico

Animais Fantásticos e Onde Habitam


Resenha – De volta ao mundo de Harry Potter

Confesso que quando saiu o primeiro trailer de Animais Fantásticos e Onde Habitam, eu não quis ficar muito animada. Afinal quando Harry Potter e a Pedra Filosofal chegou aos cinemas, eu tinha sete anos. Na pré-estreia de Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte 2, eu tinha acabado de fazer dezessete. Ou seja, cresci acompanhando Harry Potter e sua luta contra aquele-que-não-deve-ser-nomeado. Toda uma geração se sentiu órfã quando o “fim” chegou. Admito que fiquei imaginando se essa nova história no mesmo universo conseguiria ser tão boa e se conectar com tudo o que os fãs já conheciam. E digo com todas as letras: Animais Fantásticos e Onde Habitam é muito melhor do que eu esperava. JK Rowling, vem cá e me dá um abraço.

No início do filme, já percebemos que o mundo bruxo está em clima de tensão porque Gellert Grindelwald – um dos mais poderosos bruxos das trevas que é obcecado pelas relíquias da morte (um Tom Riddle versão calouro) – está à solta e todo o mundo mágico está em alerta por não saber qual será o próximo alvo do vilão.

Na Nova York dos anos 1920, os bruxos e bruxas tentam ao máximo proteger o mundo mágico dos não-maj – já conhecidos por nós como trouxas. – A falta de compreensão e abertura dos humanos para a magia põe em risco a segurança dos bruxos, que tentam a todo custo apagar qualquer rastro de magia que possa ter sido deixada para trás. Existe, inclusive, não-majs que estão à caça de qualquer sinal de bruxaria para que os responsáveis sejam identificados e revelados à sociedade.

Com direção de David Yates – que já está confirmado para comandar os próximos filmes da saga –, os efeitos especiais e as atuações no filme são de chamar atenção. Eddie Redmayne interpreta um protagonista maravilhoso, sem o estereótipo de galã e que traz um tom cômico em certos momentos do longa, principalmente quando Newt e Jacob estão juntos. Vale ressaltar que Newt Scamander estudou em Hogwarts e era da Lufa-Lufa antes de ser convidado a se retirar da escola, mesmo que Alvo Dumbledore tenha sido defensor de sua permanência. A propósito, Dumbledore não aparece – ainda – no primeiro filme dessa nova saga. Será que o veremos nos próximos? Serão mais quatro!

Além de Redmayne, temos também Ezra Miller – o futuro Flash – como Credence, um jovem melancólico que sofre abusos da mãe adotiva, que é uma das perseguidoras do mundo mágico. A relação de Credence com essa mãe abusiva e com suas irmãs nos leva até a uma dor que reforça o clima sombrio do cenário. Essa é uma história de tom mais adulto em um universo amadurecido de Harry Potter. Colin Farrel é Percival Graves, que ocupa um dos altos cargos no Congresso Mágico, e está muito bem no papel de um homem em que não sabemos se devemos ou não confiar.

O filme é o primeiro de JK Rowling como roteirista e a impressão que dá é que essa mulher não deixa um ponto sem nó na história. O enredo de Animais Fantásticos, que se passa cerca de setenta anos antes de Harry Potter, é simplesmente tão conexo que não dá para sentir falta de nada – pelo menos por enquanto. – A história tinha tudo para ser só mais uma forma de a indústria cinematográfica lucrar com os fiéis fãs desse universo, mas acaba sendo mais uma consolidação do quanto a saga é forte mesmo tendo se passado quinze anos desde a estreia oficial de Harry Potter e a Pedra Filosofal no cinema. É claro que muitos, assim como eu, se perguntaram se o novo enredo funcionaria. E funcionou! Animais Fantásticos e Onde Habitam é uma ótima porta de entrada para voltarmos ao universo que tanto nos dá saudade. Que venham os próximos!

Animais Fantásticos e Onde Habitam

Animais Fantásticos e Onde Habitam

Animais Fantásticos e Onde Habitam

Animais Fantásticos e Onde Habitam Nycole Reif
Compartilhe este Post

Posts Relacionados



  • Thalita Linhares

    Maravilhoso! Inclusive já vi duas vezes rs

Inscreva-se no Canal

Resenhas Populares

Rogue One: Uma História de Star Wars

Rogue One: Uma História de Star Wars

Animais Fantásticos e Onde Habitam

Animais Fantásticos e Onde Habitam

Raw

Raw

Capitão Fantástico

Capitão Fantástico

O Homem nas Trevas

O Homem nas Trevas

Nível Épico em Imagens

Google Plus

Facebook

SoundCloud