Filmes

Syfy Anuncia Retorno de Tratamento Mais Sério Para a Ficção Científica no Canal

3001: The Final Odyssey

2001: Uma Odisseia no Espaço, filme de 1968 dirigido por Stanley Kubrick, e baseado em um conto que depois virou romance de Arthur C. Clarke, se tornou um clássico da ficção científica, levando Clarke a escrever três continuações: 2010: Odyssey Two, 2061: Odyssey Three e 3001: The Final Odyssey.

Além do filme de Kubrick, o único outro romance de Clarke a receber uma adaptação foi 2010: Odyssey Two, no filme 2010: O Ano Em Que Faremos Contato, que Peter Hyams (Timecop, Fim dos Dias) produziu e dirigiu em 1984.

De acordo com a Variety, a rede Syfy está desenvolvendo uma adaptação em formato de minissérie de 3001: The Final Odyssey com Ridley Scott, David W. Zucker e Clayton Krueger como produtores executivos. Stuart Beattie (Piratas do Caribe) também será produtor executivo, assim como roteirista. Scott e Zucker são parceiros de longa data e trabalharam juntos em várias série de televisão e minisséries como The Good Wife, Numb3rs, Pilares da Terra, entre outras.

O Syfy é conhecido por produzir e exibir uma ampla variedade de séries e filmes de terror e ficção científica, mas nos últimos anos ganhou uma reputação de “trash” — especialmente depois do sucesso de Sharknado — que faz todo mundo olhar para o canal apenas como produtor de programas de qualidade inferior — um menosprezo que eu considero injusto. — Além disso, grande parte da programação do canal é de histórias adaptadas de outras mídias — Dominion, Haven, e a vindouro 12 Monkeys — ou séries importadas de outros países de fora dos Estados Unidos, como é o caso de Lost Girl e Continuum.

2001: Uma Odisseia no Espaço é um filme de ficção científica cultuado, e uma equipe de veteranos no comando como Scott, Zucker e Beattie é uma boa garantia de que a continuação vai respeitar o legado da obra original. Além disso, uma adaptação de 3001: The Final Odyssey (3001: A Odisseia Final) parece se encaixar nos planos recentes do Syfy para uma reformulação de sua imagem e sua programação.

Quando o Syfy passou por uma reformulação há alguns anos (quando criou a marca com o duplo ‘Y’), parte da reestruturação da rede tinha a intenção de se afastar da ficção científica mais séria e densa, direcionando o foco para uma programação mais familiar, como Eureka e Warehouse 13 (de acordo com os próprios executivos do canal).

Essa estratégia funcionou por um tempo, mas o público parece ter cansado da falta de ofertas mais sérias da rede, e começou a debandar. Sharknado é divertido horrores, mas nem todo mundo compra sua ideia, e muitas das produções que surgiram inspiradas pelo tornado de tubarões não têm o mesmo “feeling” galhofeiro que o original. E no geral, séries como Haven e Continuum (por exemplo) tornaram-se exceções na programação de hoje em dia. Ciente desse fato, a rede pretende, a partir deste ano e para 2015, promover outra reestruturação dramática, retornando ao gênero que movia o canal originalmente: a ficção científica, com histórias mais sérias e densas. Em entrevista a Entertainment Weekly, o chefe de programação do Syfy, Bill McGoldrick, afirmou que esse é o objetivo, retornar às raízes do canal.

Ainda de acordo com McGoldrick, o público de hoje em dia está mais apaixonado por programas de conteúdo mais sóbrio, uma vez que séries como Hannibal, Game of Thrones, True Detective e Sons of Anarchy têm alcançado bons índices de audiência e sucesso entre os fãs. Todas essas séries vieram para preencher uma demanda por conteúdo mais denso e menos familiar, aproveitando-se ainda da facilidade de acesso que os fãs atualmente possuem para compartilhar sobre suas paixões.

Hoje em dia é difícil encontrar pessoas animadas com séries como Eureka e Warehouse 13 da mesma forma o público se empolga com Orange is the New Black ou House of Cards, é o que acredita McGoldrick. Mesmo com grandes personagens, uma série de televisão atualmente não vai longe por si só. O Syfy precisa desse tipo de base de fãs apaixonados novamente, a fim de sobreviver à chegada dessa nova era de ouro para a televisão.

A queda de audiência e o eventual cancelamento de Eureka e Warehouse 13 mostraram aos executivos do canal que era hora de olhar para outras formas de contar histórias. Considerando a recente renovação de Dominion (que conseguiu algum sucesso a despeito de todas as expectativas) e a crescente popularidade de Defiance, o canal agora tem uma grande compreensão do que o público deseja nessa era pós-Breaking Bad. Não adianta apenas ter bons personagens ou bons conceitos, é necessário ter os dois. Com as próximas estreias de Ascension, 12 Monkeys e 3001: The Final Odyssey, o Syfy mostra que está colocando sua reformulação em prática e buscando novas alternativas para o seu público.

Compartilhe este Post

Posts Relacionados



  • http://www.momentumsaga.com Sybylla

    Tomara que melhore mesmo o nível do canal, porque olha…

    • http://www.nivelepico.com/ Alan Barcelos

      Pelas séries que eles estão planejando, deve melhorar alguma coisa…acho que 12 Macacos pode ser boa, e ainda estou curioso por The Expanse, fora essa adaptação de 3001…são boas possibilidades à princípio. :)

Resenhas Populares

Rogue One: Uma História de Star Wars

Rogue One: Uma História de Star Wars

Animais Fantásticos e Onde Habitam

Animais Fantásticos e Onde Habitam

Raw

Raw

Capitão Fantástico

Capitão Fantástico

O Homem nas Trevas

O Homem nas Trevas

Nível Épico em Imagens

Google Plus

Facebook

SoundCloud