Filmes

Mesmo Se Nada Der Certo

Dan Mulligan (Mark Ruffalo) é um produtor musical amargurado, alcoólatra, separado da esposa e da filha, que há sete anos não consegue encontrar um sucesso para o selo musical do qual é sócio e de onde é demitido. Do outro lado está Gretta (Keira Knightley), uma compositora que se muda para Nova York com seu namorado e também músico, Dave Kohl (Adam Levine). Conforme Dave cresce na carreira, Gretta fica para trás, até que é trocada por outra. Isso a obriga a ir morar com seu amigo Steve (James Corden), um músico que vive de gorjetas. Em uma noite, Steve convence Gretta a tocar uma de suas músicas no bar em que se apresenta e onde Dan está. O produtor se encanta com a musicalidade da moça e decide investir na carreira dela. Apesar da resistência inicial, Gretta cede, mas parece que vai ser difícil fazer alguma gravadora aceitar os termos da cantora, o que leva Dan a ter uma ideia: gravar o álbum de estreia de Gretta pelas ruas de Nova Iorque.

(Begin Again) – Comédia. Estados Unidos, 2013.

De John Carney. Com Keira Knightley, Adam Levine, Mark Ruffalo, Hailee Steinfeld, Catherine Keener, Mos Def e James Corden. 104min. Classificação: 12 anos.

Mesmo Se Nada Der Certo


MESMO SE NADA DER CERTO – CRÍTICA

Um dos filmes que melhor consegue unir música e romance, da forma mais pura possível, é Apenas Uma Vez, de 2006, dirigido por John Carney. Na época o diretor se uniu a seu antigo colega de banda, Glen Hansard, que ganhou fama internacional depois de estrelar o longa. Carney foi baixista da The Frames por dois anos e mesmo nessa época já flertava com a carreira de diretor, ao realizar os vídeos da banda e curtas. Mas foi Apenas Uma Vez que o impulsionou, ganhando uma versão para a Broadway e levando o diretor para Hollywood.

Lá em 2006, Carney contava uma história de amor entre um homem e uma mulher, sem nomes, através da música e pelas ruas de Dublin. Glen Hansard e Markéta Irglová eram os protagonistas, músicos sem muita fama, que começaram a ganhar notoriedade com a estreia do filme pelo mundo. Agora, depois de toda a fama de sua pequena obra de arte, Carney se une a nomes já bem conhecidos como Mark Ruffalo, Keira Knightley, James Corden e Adam Levine, para mais uma vez falar sobre música, fama e amor.

O que marca Apenas Uma Vez é a inocência e a paixão entre seus personagens, que tem como sonho poder viver da música e uma vida mais livre. No caso de Mesmo Se Nada Der Certo, os personagens já fazem parte do meio musical, produzindo e compondo. Não há mais a inocência do início e sim a amargura de não conseguir o que se busca. O filme parte das histórias de dois personagens que se unem no meio da trama em busca de uma segunda chance.

Outro aspecto que se repete na obra de Carney é misturar a música com uma cidade. Na história, como Gretta é uma cantora difícil, o que afasta a possibilidade de encontrar uma boa gravadora, Dan tem uma ideia de gravar o seu álbum de estreia pelas ruas da cidade, vinculando música e cenário urbano. Nova Iorque é mostrada de forma encantadora pelo olhar de Carney, mesmo quando ele enfatiza alguns problemas.

É quase impossível não fazer um paralelo entre Apenas Uma Vez e Mesmo se Nada Der Certo, não só pela música, como também pela dinâmica entre os personagens. Não há uma ligação proposital entre os dois filmes, nada disso. Mas observar Gretta e David chegarem a Nova Iorque com aquele olhar inocente e encantado com o futuro que os aguarda, faz pensar no personagem de Glen no primeiro filme, e se Dave não seria uma versão dele agora, após conseguir o que tanto queria — principalmente porque Dave consegue assinar com uma grande gravadora em Nova Iorque por causa do sucesso que fez com as músicas criadas para um filme. — Ele logo se envolve com todos os paparicos e mimos que recebe por conta do que pode oferecer, ao mesmo tempo que compromete sua música e seu talento a favor da gravadora, apenas por interesse em se tornar rico e famoso rápido. Gretta percebe todas essas mudanças e se torna o olhar crítico do filme em relação a indústria fonográfica.

É curiosa a escolha de Adam Levine para viver o papel do egocêntrico Dave, mas ao mesmo tempo, muito bem pensada, já que Levine é um cantor de muito sucesso, com hits rápidos e uma legião de fãs, tudo que Dave almeja. Também é fácil entender essa escolha como uma forma do diretor mostrar que ele mesmo precisa se tornar mais comercial para poder ganhar Hollywood e crescer em sua carreira, claro que sem se comprometer tão profundamente quanto seu personagem.

Gretta além de ser o ponto crítico do filme é a maneira do diretor de mostrar que sua alma está dividida, entre ser pop de hits rápidos e uma artista que não se compromete, que busca outras alternativas para poder alcançar o que deseja. Nesse ponto, Dan, o produtor desiludido, enxerga Gretta como uma renovação da indústria para a qual trabalha. Ela é tudo o que ele buscava, o que o faz voltar a curtir sua própria vida e se apaixonar mais uma vez por seu trabalho. Além do talento cru de Gretta, ela se torna um elo entre ele e sua filha, ajudando-o a se relacionar com ela, sem julgamentos e sem culpa.

Outro grande personagem do filme é a trilha sonora, composta em grande parte por Gregg Alexander, mais conhecido por ter sido líder da banda New Radicals (do one hit wonder: “You Get What You Give”). Ela mistura muito bem composições pops perfeitas para a voz de Levine, assim como belíssimas canções intimistas, que funcionam na pequena voz tímida e fofa de Keira Knightley — sim! Ela canta e muito bem! — É quase impossível não se apaixonar pelo filme sem querer sair correndo para escutar sua trilha sonora.

O título original do filme é Begin Again (Começar de novo). Mas em uma primeira versão seria Can a Song Save Your Life? (Poderia uma canção salvar sua vida?), o que resume com perfeição o filme. A música pode salvar vidas, transformá-las e sem dúvida alguma, torná-las muito melhor. Esse é o ponto que distancia Mesmo se Nada Der Certo de Apenas Uma Vez. Se o musical de 2006 enaltecia o amor em sua forma mais pura, o longa atual enaltece a vida e a música, mostrando que nem sempre um grande amor é necessário para ser feliz, que às vezes apenas estar de bem consigo mesmo já é muita coisa.

Mesmo Se Nada Der Certo

Mesmo Se Nada Der Certo

Mesmo Se Nada Der Certo

Compartilhe este Post

Posts Relacionados



Resenhas Populares

Rogue One: Uma História de Star Wars

Rogue One: Uma História de Star Wars

Animais Fantásticos e Onde Habitam

Animais Fantásticos e Onde Habitam

Raw

Raw

Capitão Fantástico

Capitão Fantástico

O Homem nas Trevas

O Homem nas Trevas

Nível Épico em Imagens

Google Plus

Facebook

SoundCloud