Filmes

Vincent D’Onofrio Será o Rei do Crime na Série DEMOLIDOR

Demolidor

O ator Vincent D’Onofrio foi escolhido para ser o vilão Rei do Crime na futura série do Demolidor (Daredevil) que será lançada no Netflix. O personagem da Marvel, criado em 1964 por Stan lee e Bill Everett, é uma das criações mais urbanas e (na medida do possível) realistas da editora americana de quadrinhos. Pela série já passaram grandes nomes como Wally Wood, Gene Colan, Denny O’Neill e Mark Waid, com destaque para as histórias de Frank Miller, David Mazzucchelli, Ann Nocenti e John Romita Jr.

Matt Murdock, o Demolidor, é um advogado que fica cego na adolescência após um acidente de trânsito, quando materiais radioativos caem em seus olhos. Como efeito colateral, seus outros sentidos se tornam muito mais aguçados, além dele ter desenvolvido uma espécie de radar semelhante ao dos morcegos.

O legal de Daredevil é que Murdock, com exceção dos sentidos aguçados, não possui super-poderes físicos como invulnerabilidade e super-força: é “apenas” um ginasta espetacular, espécie de super-herói pioneiro do parkour. Enfrenta vilões mais pé no chão e urbanos, como o citado Rei do Crime, e suas histórias lidam com temas como tráfico de drogas, pobreza, poluição ambiental, corrupção política, banditismo e, bem, ninjas.

O Rei do Crime (no original, Kingpin), cujo nome real é Wilson Fisk, é uma espécie de Al Capone. Um imigrante pobre que, graças a muita trambicagem e violência, se torna o principal chefão mafioso de Nova York, com bandidos e políticos no bolso. Criado originalmente como inimigo do Homem-Aranha, tornou-se o nêmesis do Demolidor a partir das histórias escritas por Roger Mckenzie e desenhadas por Frank Miller (que pouco depois assumiu também os roteiros) no final dos anos 70/início dos 80. Com um estilo cinético e influenciado igualmente por Will Eisner e pela decupagem cinematográfica, Miller revolucionou não só a série Daredevil como os quadrinhos americanos como um todo, implementando diálogos mais ágeis, menos gorduras narrativas e uma diagramação nova e cheia de movimento. Nos anos 2000 virou um maluco reacionário, mas isso é outra história.

Daredevil é uma de quatro séries televisivas que a Marvel está criando para o Netflix e que devem não só compartilhar do mesmo universo como também do universo cinemático da Marvel. Ou seja, as histórias se passam no mesmo universo que filmes como Vingadores e Homem de Ferro e (para bem e para mal) que a série Agentes da SHIELD (o que é um feito inédito, já que SHIELD é de outro canal).

As séries abordarão personagens mais urbanos e menos cósmicos/hi-tech que seus semelhantes cinematográficos. Além de Demolidorestão confirmadas as séries Luke Cage (sobre um ex-presidiário que ganha uma pele invulnerável e vira herói a preços módicos), Punho de Ferro (sobre um menino que perde os pais e é criado no Himalaia para virar uma arma viva) e Jessica Jones (sobre uma investigadora particular super-forte, porém deprimidíssima). As quatro séries terão 13 episódios cada, que serão lançados nos moldes Netflix: de uma vez só. Ao final, os quatro personagens se unirão em uma quinta série chamada Os Defensores.

Com Demolidor, o showrunner Steven S. DeKnight tem uma missão árdua pela frente: apagar dos fãs o travo amargo deixado pelo fraco filme com Ben Affleck, de 2003. Para isso conta com o ótimo ator Charlie Cox (de Stardust e Boardwalk Empire), no papel de Murdock/Demolidor, e agora também com Vincent D’Onofrio como o Rei do Crime. D’Onofrio estreou na tela grande no clássico Nascido Para Matar (1987), de Stanley Kubrick, onde prova que pode ser realmente assustador. De lá para cá apareceu em filmes como JFK, Ed Wood (em ótima ponta como Orson Welles) e na série Law & Order.

Rei do Crime por Frank Miller

Demolidor versus Justiceiro por Frank Miller

Compartilhe este Post

Posts Relacionados



Nível Épico em Imagens

Facebook

Google Plus