Filmes

The Canyons – Festival do Rio 2013

The Canyons

The Canyons

The Canyons

The Canyons

Um dos temas favoritos de Hollywood é falar sobre si mesma. A indústria cinematográfica dos EUA é um prato cheio para tratar de poder, futilidade, ascensão e decadência dentro de um meio social cruel e implacável para quem é considerado um perdedor. Desta forma, desperta curiosidade quando um time de renegados pelo sistema se une para fazer um filme, e o resultado disto é The Canyons (EUA, 2013).

No novo longa do diretor Paul Schrader, roteirizado por Bret Easton Ellis, conhecemos o casal formado por Tara (Lindsay Lohan) e o produtor Christian (estrelado pelo ator pornô James Deen), que juntos financiarão um filme a ser estrelado pelo novato Ryan (Nolan Gerard Funk), namorado de Gina (Amanda Brooks), secretária de Christian.

Embora contenha generosas cenas de nudez e orgias estreladas por Lohan e Deen, o tema do filme não é sexo, desfazendo assim uma primeira impressão sobre a obra. Na verdade, interessa mais ao diretor um estudo sobre os jogos de poder que envolvem a produção de um filme, junto com a guerra de egos e a frieza insensível de quem faz parte desta indústria.

Essa frieza escancarada com o personagem de Christian na verdade é uma marca de todo o filme. As relações sexuais e amorosas não passam de jogos, aventuras banais para satisfação passageira, com efeito semelhante ao de uma carreira de cocaína ou uma noite de bebedeira. Ainda assim, existe o ciúme doentio, fruto muito mais de ego ferido do que de sentimentos verdadeiros em relação ao próximo.

O problema do filme é que as metáforas que utiliza são banais, até mesmo clichês. A presença de uma atriz decadente e um ator pornô no elenco parece servir como metalinguagem, mas o estudo dos tipos hollywoodianos que misturam doses de sadismo, crueldade e até mesmo psicopatia é já lugar comum dentro do gênero. O retrato de uma burguesia entediada com sua fortuna, com sexo e drogas tentando preencher esse vazio, também já foi mostrado de tantas formas que chega a ser cansativo vê-las novamente, já que The Canyons não traz nenhuma inovação neste sentido.

O que faz este longa valer a pena é que, num plano mais profundo, Schrader tenta refletir sobre o que leva alguém a fazer Cinema. Não à toa, os primeiros e últimos planos do filme são de cinemas abandonados, locais esquecidos que simbolizam o quanto a Arte fica no plano secundário dentro de um esquema que visa acima de tudo o lucro desenfreado e a construção de carreiras. Não por acaso, Tara questiona a certa altura quando foi a última vez em que Gina assistiu a um filme apenas por prazer, sem compromissos profissionais.

Essa parece ser a pergunta primordial que o próprio artista deve se fazer sempre. A intenção é a de se expressar, refletir e trocar ideias, ou simplesmente obter fama e fortuna? A sua Arte é o que te motiva, te dá tesão, cala fundo em sua alma? Talvez apenas um bando de renegados possa responder sinceramente a estas perguntas.

MOSTRA PANORAMA DO CINEMA MUNDIAL

THE CANYONS (The Canyons) – De Paul Schrader. Com Lindsay Lohan, James Deen, Gus Van Sant . Estados Unidos, 2013. 100min.

Compartilhe este Post

Posts Relacionados



Resenhas Populares

Rogue One: Uma História de Star Wars

Rogue One: Uma História de Star Wars

Animais Fantásticos e Onde Habitam

Animais Fantásticos e Onde Habitam

Raw

Raw

Capitão Fantástico

Capitão Fantástico

O Homem nas Trevas

O Homem nas Trevas

Nível Épico em Imagens

Google Plus

Facebook

SoundCloud