Livros

REQU13M – Projeto de Noveletas Cyberpunk de Lidia Zuin Para E-Book

Requ13m: Lidia Zuin

Requ13m é o projeto de um livro de noveletas cyberpunk desenvolvido pela autora Lidia Zuin e que está sendo publicado agora em agosto pela Editora Draco em versão e-book. Os livros estão num período de pré-lançamento, mas é primeira será liberada no dia 04 de setembro, e as próximas de 15 em 15 dias. De acordo com Lidia, a intenção é fazer mais duas ou três histórias além dessas, que depois podem ser publicadas na forma de um livro impresso.


Dies Irae

As noveletas têm como protagonista a hacker Lynx, personagem principal do conto Dies Irae, que foi lançado originalmente pela autora na coletânea de contos Imaginários Vol. 3, também da Draco. O conto também está disponibilizado como e-book, e se você quiser, você pode comprar e ler para conhecer um pouco mais sobre a protagonista e a ambientação das histórias contadas nas noveletas.

Para comprar o conto, acesse: Dies Irae


Numa conversa com a autora, ela falou um pouco sobre sua personagem principal — “A Lynx foi criada por acaso, pra eu jogar RPG em chat mesmo, porque eu nunca tive oportunidade de jogar RPG de mesa, sem sistema nem nada, só descrevendo as ações, como se fosse uma grande redação coletiva mesmo, dependendo do bom senso do outro jogador. Na época eu estava de entediada de jogar com temática medieval (e isso não passou desde então), por isso criei uma personagem com estilo cyberpunk, que era um universo que eu havia acabado de conhecer. Isso foi em 2007, 2008.”

Curiosamente, a própria Lidia muitas vezes é comparada à personagem Lynx, mas ela não se acha tão parecida assim — “É normal que autor se identifique com personagem, mas eu não sou ela. Lembro que um professor da faculdade um dia leu meu conto Dies Irae e depois ficou me chamando de Lynx, mas não tem nada a ver… Eu sequer bebo álcool e nunca usei drogas, pra você ter idéia. [risos] Existem alguns escritores que talvez usem sua ficção como uma porta para sentir alívio psicológico e tentam aliviar a própria sombra através das personagens, mas não acredito que seja o meu caso com a Lynx, pelo menos não em grande relevância.”


Requ13m: Lidia Zuin Requ13m: Lidia Zuin Requ13m: Lidia Zuin

Requ13m: Deus Sonha o Homem

Primeira parte da série cyberpunk, Requ13m: Deus Sonha o Homem, antecede o conto Dies Irae. Nessa noveleta, Lynx, em seus primeiros anos como hacker, não tem experiência o suficiente para saber que esse é um mundo sem recompensas. Para financiar seus vícios, ela aceita um trabalho obscuro, que vai arrastá-la pelas ruas sujas da cidade, confrontá-la com snipers e enigmas, e mostrar que confiar num estranho pode ser tão perigoso quanto confiar no que seus sentidos dizem ser a realidade.

Preço: R$ 4,99

Para comprar a noveleta, acesse: Deus Sonha o Homem


Requ13m: O Homem Sonha a Máquina

Segunda parte da série cyberpunk, Requ13m: O Homem Sonha a Máquina, se passa após o conto Dies Irae. Num mundo hedonista e cibernético, haverá espaço para os deuses? Os seguidores de um grupo conhecido como tecnognósticos estão sendo assassinados e as únicas pistas são estranhos símbolos. Um velho conhecido de Lynx pede sua ajuda para resolver o mistério. Para a hacker, porém, aquele homem é o verdadeiro enigma.

Preço: R$ 4,99

Para comprar a noveleta, acesse: O Homem Sonha a Máquina


Requ13m: A Máquina Sonha Deus

Terceira parte da série cyberpunk, Requ13m: A Máquina Sonha Deus, tratam dos recentes acontecimentos que destruíram a confiança de Lynx no mundo ao seu redor. Os mistérios atingem níveis mais profundos do que Lynx é capaz de lidar, mas ela não vai desistir tão facilmente. Mesmo a hospitalidade das irmãs Raga, Arati e Pali, repleta de prazeres e alienação, não é capaz de mantê-la fora das ruas por muito tempo. Decidida a retomar as investigações, Lynx descobre novas conexões entre os eventos que tumultuaram sua vida. E isso pode ser o seu fim.

Preço: R$ 4,99

Para comprar a noveleta, acesse: A Máquina Sonha Deus


Ainda de acordo com Lidia, os títulos das três noveletas são frases retiradas do artigo As Máquinas são tão Mortais Quanto as Pessoas, de Dietmar Kamper, um teórico alemão que ela estudou durante a graduação, e também agora mais recentemente, no mestrado — “Ele foi mencionado na ocasião e ninguém conseguia entender muito bem o que o autor dizia, porque ele é bem poético, mas para mim, estava bem claro que ele estava falando sobre o pós-humano, especialmente porque eu havia acabado de assistir ao seriado Caprica na época. Com isso, encontrei temas e assuntos relacionados à religião, simbologias e sobre o que é realidade que me deram inspiração pra escrever essas noveletas.”

Sobre as inspirações e influências?! Lidia tem muitas — “Na verdade, o processo criativo é algo absurdo, dá pra gente dizer que algumas coisas influenciaram, mas se for ver é quase uma ‘parade’ de Paprika, sabe? [risos] É tudo misturado e vai fazendo sentido, não mais que de repente. E, numa explosão, surge a obra. Então Kamper, Vilém Flusser, Hans Belting, Carl Gustav Jung, Mamoru Oshii e Kenji Kawai com Avalon, Caprica, Serial Experiments Lain, budismo… E tudo está conectado. No fim, é meio que isso mesmo: está tudo conectado, as simbologias, os enigmas. E eu gosto de montar quebra-cabeça, sabe? Quem leu Dies Irae vai encontrar coisas que estavam lá de novo nas noveletas: personagens, objetos, termos, cenas.”

Os livros podem ser adquiridos no site da editora, e se posso dizer alguma coisa, é que vale a pena, especialmente para quem gosta de ficção científica e do gênero cyberpunk.

Para mais informações sobre as noveletas, acesse o blog: Requ13m

Compartilhe este Post

Posts Relacionados



Nível Épico em Imagens

Facebook

Google Plus