Filmes

Sem Dor, Sem Ganho

Sem Dor, Sem Ganho

Sem Dor, Sem Ganho

Sem Dor, Sem Ganho

Sem Dor, Sem Ganho

Mark Walhberg é daqueles que precisam de um bom diretor ou um personagem complexo para mostrar que pode ser um bom ator. Já o fez em Boogie Nights (Paul Thomas Anderson), Os Infiltrados (Martin Scorsese), O Vencedor (David O. Russel) e até na comédia Ted (Seth MacFarlane). Nesse novo filme de Michael Bay (Armaggedon), Walhberg também o faz.

Sem Dor, Sem Ganho (Pain & Gain, EUA, 2013) narra a história real de três marombeiros (ou fisiculturistas) que realizam golpes em empresários. Na realidade, tudo inicia com a ambição de Daniel Lugo (Mark Walhberg) em concretizar seu “sonho americano”. Mas o fortão não quer batalhar para conquistar seus objetivos (que consistem em obter casas milionárias, dinheiro e mais dinheiro; se calhar uma viagem a Paris).

Ele tem como referências Scarface e Don Corleone, figuras cinematográficas que exemplificam para o personagem o significado de vencer na vida. Mas o fortão não tem em seus planos batalhar por seus goals, e sim, tomá-los de quem trabalhou duro (ou não) para conquistá-los. Para isso, conta com outros dois marombeiros: Paul Doyle (Dwayne Johnson) e Adrian Doorbal (Anthony Mackie).

Os três põem seu golpe em prática, desprovidos de experiência e técnica, escolhendo alvos — que aparentemente seriam fáceis — e com um plano cheio de furos, mas que surpreendentemente prospera. Mas o fato dos targets serem pessoas que lutaram pelos seus bens, faz com que estes não sejam alvos fáceis de tortura, nem pessoas fracas e que não desistirão tão facilmente seus pertences.

A narrativa adotada pelo diretor, explora o voice over dos personagens a narrarem seus pontos de vistas e suas opiniões acerca dos acontecimentos, aproximando os personagens dos espectadores. Michael Bay participa também do filme, ou pelo menos de seus comentários. Em algumas das ações absurdas dos personagens, o diretor quebra a quarta parede e, ao contrário do dramaturgo alemão Brecht, ele lembra que não é ficção; com alguns comentários sarcásticos, Bay se intromete por vezes, e aí, juntamente com o personagem Doyle, vai arrancar alguns risos dos espectadores. O humor é sutil, mas eficaz. A violência é forte e presente, mais comportamental do que física.

Sem Dor , Sem Ganho vai atrair os fãs tanto pelo elenco recheado (Ed Harris também está lá), quanto pela temática. Dwayne Johnson e Mark Wahlberg surpreendem. Engraçado, grosseiro e descontrolado, Michael Bay conta a bizarra história real de marombeiros criminosos com muita dor e muito ganho.

Compartilhe este Post

Posts Relacionados



Resenhas Populares

Rogue One: Uma História de Star Wars

Rogue One: Uma História de Star Wars

Animais Fantásticos e Onde Habitam

Animais Fantásticos e Onde Habitam

Raw

Raw

Capitão Fantástico

Capitão Fantástico

O Homem nas Trevas

O Homem nas Trevas

Nível Épico em Imagens

Google Plus

Facebook

SoundCloud