Filmes

As Aventuras de Kon Tiki

As Aventuras de Kon Tiki

As Aventuras de Kon Tiki

As Aventuras de Kon Tiki

As Aventuras de Kon Tiki

Um homem em uma pequena balsa atravessando o Pacífico. Parece com um filme que você já viu, mas não é. Essa é uma história real que aconteceu em 1947 quando o etnógrafo e explorador norueguês, especialista em zoologia e geografia, Thor Heyerdahl decidiu provar ao mundo que aqueles que povoaram a Polinésia, no período Pré-Colombiano, saíram da América do Sul, e não da Ásia, como se acreditava.

Essa é a premissa do filme norueguês As Aventuras de Kon Tiki (Kon-Tiki, Noruega, 2012).

Thor Heyerdahl (interpretado pelo ator Pål Sverre Valheim Hagen) tem um espírito aventureiro desde muito novo. Quando universitário, viajou até a Polinésia com o intuito de conhecer melhor aquela região e estudar seus povos. Durante suas observações, notou que as esculturas dali eram muito semelhantes às de tribos da América do Sul, assim como as lendas contadas falavam de guerreiros e povos vindos do leste. Durante anos, Heyerdahl estudou e pesquisou sobre tudo o que tinha observado, percebendo que aquela região havia sido descoberta por povos vindos da América do Sul, uma teoria que ia contra tudo já estudado e catalogado anteriormente.

Decidido a provar que estava certo, o etnógrafo pediu ajuda a amigos para montar uma expedição, que iria refazer o caminho dos povos latinos até a Polinésia, atravessando o Oceano Pacífico. Assim, Thor construiu uma jangada nos mesmos moldes que as usadas pelos peruanos há mais de 1500 anos e viajou ao lado de cinco homens, com o “bônus” de que ele não sabia nadar.

Kon-Tiki era o nome antigo do deus Inca do sol, que serviu de inspiração para nomear a jangada. Assim como Heyerdahl, os diretores Joachim Rønning e Espen Sandberg abusaram de seu lado aventureiro para realizar esse filme, que teve locações em Malta, EUA, Noruega, Bulgária, Tailândia, Suécia e nas Malvinas. Além de terem feito cenas em mar aberto, no meio do oceano, mesmo sabendo de todos os riscos possíveis.

As Aventuras de Kon Tiki é uma produção ambiciosa para a Noruega, tornando-o o filme mais caro produzido no país, assim como o mais rentável, já que teve enorme sucesso, com uma recepção excelente por parte do público e da crítica. Foi indicado para o Globo de Ouro e para o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro desse ano, chamando a atenção da The Weinstein Company, que distribuiu o filme nos EUA e em parte da Europa.

O filme conseguiu um feito condizente com seu personagem principal, um grande homem, que pensava além de seu tempo. Ele levou 101 dias no mar e navegou mais de 7 mil quilômetros para provar ao mundo que estava certo, e sua insistência valeu a pena. Heyerdahl entrou em sua balsa como um desconhecido, teve a visão de documentar seus 101 dias em vídeo e, mesmo após quase morrer quando a balsa chegou ao seu destino, ele continuou se aventurando. Seu documentário é brilhante, assim como o livro que escreveu sobre a experiência e que inspirou o filme.

As Aventuras de Kon Tiki é uma aventura real, cheia de adrenalina, fruto de mentes brilhantes que conseguiram perceber o sucesso e, por isso mesmo, se arriscaram: Thor, lá em 1947, sem tecnologia, apenas com muita coragem e determinação; e os diretores Rønning e Sandberg, por investirem numa super produção em um país famoso por seu cinema intimista.

Compartilhe este Post

Posts Relacionados



Resenhas Populares

Rogue One: Uma História de Star Wars

Rogue One: Uma História de Star Wars

Animais Fantásticos e Onde Habitam

Animais Fantásticos e Onde Habitam

Raw

Raw

Capitão Fantástico

Capitão Fantástico

O Homem nas Trevas

O Homem nas Trevas

Nível Épico em Imagens

Google Plus

Facebook

SoundCloud