Leia Mais

007: Carte Blanche

Nível Heroico

007: Carte Blanche

Atualizar um personagem icônico é sempre complicado. A indústria do entretenimento, contudo, se utiliza cada vez mais desse recurso, de forma a associar uma marca forte ao seu produto, apelando assim para o marketing espontâneo e para a carga emocional que o personagem conhecido possui com o público. No cinema e na TV, tal ferramenta tornou-se comum, e nos quadrinhos, as grandes editoras começam a se utilizar destas estratégias. E na literatura, será que isso tem vez?

007: Carte Blanche (Carte Blanche: The New James Bond Novel, Reino Unido, 2012), o novo romance com o 007 escrito por Jeffery Deaver (O Colecionador de Ossos) mostra que é possível sim, embora o personagem não escape ileso da atualização. O título, bem escolhido, tem um duplo sentido: se refere tanto à famosa licença para matar de James Bond, quanto ao reboot da série literária, onde o escritor recomeça do zero a história do agente secreto mais famoso da ficção.

Passando-se no presente, somos apresentados a um Bond ex-militar, veterano da guerra do Afeganistão, a quem é dada a oportunidade de ingressar no serviço secreto numa categoria especial de agente, a dos 00. Sua missão é evitar um ataque terrorista que prejudicará interesses britânicos, em local desconhecido, mas com data marcada: dentro de uma semana!

A trama funciona bem como aventura de espionagem. Temos o senso de urgência do prazo se aproximando, e as viagens a diversos países (Sérvia, Dubai, África do Sul). Há também a rivalidade entre as agências, todas querendo para si os louros da descoberta, e as viradas na trama que tanto agradam aos fãs do gênero. As descrições do autor são em geral precisas, embora muitas vezes não fiquem tão naturais dentro do texto, colocando detalhes demais que não fazem diferença para a cena ou na caracterização dos personagens.

Deaver aproveita também os personagens coadjuvantes da série, como M, Moneypenny, Bill Taner e Felix Leiter, todos ganhando algum destaque, e se mostrando bem diferentes das versões atuais do cinema. Os vilões são novos, mas com aquele toque bizarro que todo bom inimigo do espião sempre apresenta.

Aliás, o autor procurou ao máximo se afastar do Bond de Daniel Craig, ao ponto de termos dois personagens completamente diferentes, embora ambos tenham uma abordagem mais “emotiva”. O 007 do livro trabalha em equipe, tem dúvidas morais quanto a matar em nome da missão, e até mesmo se apaixona e pensa em construir uma vida a dois, inclusive sentindo-se culpado por sair com outras mulheres. Bem diferente do agente frio do cinema, e talvez aqui seja o ponto que os fãs mais se incomodarão: se o personagem é tão diferente, há necessidade de chamá-lo de James Bond?

É nesse ponto que voltamos ao questionamento inicial. Criar novos personagens, e sobretudo novas marcas, exige todo um novo esforço de marketing, se tornando muito mais fácil apropriar-se de uma franquia e inová-la. Muitos apontam uma crise criativa atual, mas o problema não é exatamente esse. Temos muita gente talentosa criando, mas a tendência é que a lógica capitalista do maior lucro com menos gasto possível domine cada vez mais a produção do entretenimento. Afinal, os próprios filmes do James Bond dão cada vez mais dinheiro, isso desde antes de Craig assumir o papel. Se 007: Carte Blanche fosse uma aventura sobre um espião qualquer, o público daria chance ao mesmo? É esse o questionamento que tanto quem produz como quem consome entretenimento precisa se fazer, pois não existe resposta fácil.

O novo romance de James Bond é recomendado, e sua abordagem funciona para os dias atuais. Mas só vai aproveitar sua leitura quem estiver com a cabeça aberta para o livro, e quem estiver disposto a desapegar do “velho” 007 em prol de um novo.

Compartilhe este Post

Posts Relacionados



Inscreva-se no Canal

Resenhas Populares

Rogue One: Uma História de Star Wars

Rogue One: Uma História de Star Wars

It: A Coisa

It: A Coisa

Planeta dos Macacos: A Guerra

Planeta dos Macacos: A Guerra

Animais Fantásticos e Onde Habitam

Animais Fantásticos e Onde Habitam

Raw

Raw

Siga no Bloglovin’

Follow

Vem Com a Gente

Curta e Compartilhe

Aperte o Play

Nível Épico em Imagens