Cinema

Katy Perry: Part of Me

Nível Heroico

Katy Perry: Part of Me

Katy Perry: Part of Me

Katy Perry: Part of Me

Katy Perry: Part of Me

Vou começar repetindo algo que escrevi na matéria sobre a coletiva com a cantora, porque é algo que convém ser reforçado…

Katy Perry é atualmente uma estrela que brilha com força no firmamento do mundo musical. Em poucos anos de carreira, já vendeu mais de 75 milhões de músicas, obteve mais de 1 bilhão de visualizações no YouTube e foi nomeada a oito Grammy Awards. É, sem dúvida, uma das populares cantoras da indústria musical!

Com suas roupas chamativas, suas letras cativantes e sua personalidade elétrica, Katy conseguiu uma legião de fãs em todo o mundo. O filme Katy Perry: Part of Me (EUA, 2012) conta a história da cantora desde sua infância até sua ascensão como estrela da música pop, com foco na turnê California Dreams, realizada para promover seu segundo álbum de estúdio, o Teenage Dream — quando sua carreira estava no topo, mas sua vida pessoal estava afundando num poço escuro. É um olhar intimista, divertido e interessante sobre Katy Perry, algo que os fãs da popstar vão COM CERTEZA adorar.

Mas o grande lance do filme é que aqueles que são fãs devotados ou conhecem pouco sobre a cantora — meu caso — vão gostar também.

Eu admito que ainda conheço pouco sobre ela, e nunca tive uma opinião formada sobre gostar ou não dela e de suas músicas. Até por isso, fui assistir ao documentário, pra conhecê-la melhor, ter uma ideia melhor de como funcionava a mente psicodélica da cantora. E, olha, tô quase apaixonado! :P

Katy Perry: Part of Me é um filme envolvente, alegre e inspirador em muitos sentidos, inclusive cinematográfico. O motivo é claramente a própria Katy Perry, que aparece não só pelo olhar da câmera e dos fãs, mas também pelo olhar de quem convive com ela. O filme não se priva de mostrar os momentos mais dramáticos de sua vida, como seu divórcio com o comediante inglês Russell Brand, que terminou o relacionamento com a cantora por mensagem de celular quando ela estava se apresentando aqui no Brasil, em 2011, no dia de seu show em São Paulo. Aqui, temos a oportunidade de ver que mesmo uma vida que parece um sonho tem seus momentos de pesadelo. Mas, que é a partir destas dificuldades que uma pessoa constrói, pouco a pouco, seu conto de fadas.

De fato, sob outro olhar, Katy Perry parece uma princesa saída de um conto de fadas multicolorido. Passei uns três minutos do filme esperando passarinhos de desenho animado aparecerem assobiando. Sério. :D

É através do ponto de vista das pessoas que trabalham com o ícone que conhecemos um pouco do ser humano. Katy Perry é apresentada com todas as suas dificuldades e defeitos, e também com toda a sua força de caráter pra superá-los. E a força de vontade dela é realmente impressionante. Vê-la engolindo as lágrimas pra entrar no palco em São Paulo apesar de toda a tristeza que estava sentido é realmente emocionante. Mas sua força se reflete mais ainda em sua personagem extrovertida e cativante. O filme é agradável porque sua peça-chave é simpática, divertida e esforçada. Sendo fã ou não, é difícil não apreciar o tipo de dedicação que ela coloca no que faz. Ah, claro, o filme é bonito também. Em muitos sentidos. Especialmente, porque a Katy Perry é UM ESPETÁCULO DE BONITA! E colorida… Muito colorida!

O documentário inclui ainda vários momentos das apresentações feitas durante a turnê, alguns relances de seus videoclipes, depoimentos dela e de seus familiares e colegas, e informações importantes sobre sua carreira — como, por exemplo, o fato de que, juntamente com Michael Jackson, Katy Perry é um dos únicos artistas a ter cinco hits de um mesmo álbum em primeiro lugar nas paradas ao mesmo tempo, algo que nem The Beatles ou Elvis Presley tiveram. O sucesso meteórico, naturalmente, é fruto do trabalho duro, mas também cobra seu preço.

E o filme sobressai quando se volta justamente para o lado pessoal da cantora. Porque a acompanhamos crescendo numa família rigidamente religiosa e não tão tolerante com suas escolhas; conquistando aos poucos seu espaço e o respeito de seus pais; conhecemos sua irmã (que é a cara dela) e sua avó (que é uma graça!); e a vemos com seus fãs. Dá pra sentir a conexão que ela tem com os fãs, especialmente no evento que citei de São Paulo, que mostra de forma autêntica e realista os brasileiros gritando “Eu te amo!” em português quando ela mal tinha forças pra ficar de pé no palco… Algo que ela respondeu com um carinho divertido que não tem como passar despercebido. Só aquela cena diz muito sobre Katy Perry, sobre como ela é mais do que o cabelo azul e o mundo cor de rosa, e sobre como, apesar de tudo, ela consegue ser radiante.

Katy Perry: Part of Me às vezes soa como uma propaganda de glorificação à estrela, mas graças aos momentos de carinho com seus fãs e a algumas cenas importantes dos bastidores, o filme consegue superar isso. Porque a história da cantora é basicamente sobre isso: superação. É a mensagem que ela quer passar. Que é preciso trabalho duro, fazer sacrifícios e ter dedicação para realizar seus sonhos ou seus contos de fadas. Por isso que o grande mérito do filme está em sua protagonista. Katy Perry é carismática, divertida e apaixonante. Dá pra entender porque tem tantos fãs.

[bb]



Compartilhe este Post

Posts Relacionados



Inscreva-se no Canal

Resenhas Populares

Rogue One: Uma História de Star Wars

Rogue One: Uma História de Star Wars

It: A Coisa

It: A Coisa

Planeta dos Macacos: A Guerra

Planeta dos Macacos: A Guerra

Animais Fantásticos e Onde Habitam

Animais Fantásticos e Onde Habitam

Raw

Raw

Siga no Bloglovin’

Follow

Vem Com a Gente

Curta e Compartilhe

Aperte o Play

Nível Épico em Imagens