Projeto X – Uma Festa Fora de Controle [pela visão de uma Mulher]

Vivi Maurey 16/03/2012

Nível Heroico

Projeto X - Uma Festa Fora de Controle

Projeto X - Uma Festa Fora de Controle

Projeto X - Uma Festa Fora de Controle

Projeto X - Uma Festa Fora de Controle

OBS: Conversamos entre nós aqui do Nível Épico e resolvemos fazer dois pontos de vista para o filme, de acordo com o gênero. Dependendo do caso, pensamos até em fazer isso mais vezes com outros filmes. Logo, aqui vai o ponto de vista feminino.

Projeto X – Uma Festa Fora de Controle (Project X, 2012) é de se mijar de rir! #prontofalei Admito, pode julgar! As piadas são sensacionais, a trilha sonora ganha a maioria do filme e se não fosse a legenda destruindo o significado das piadas, eu teria marcado como 4 foguinhos épicos, mas não vamos exagerar, principalmente por não ser o meu tipo de comédia. Meu tipo tá longe disso e se tivesse que comparar, viajaria no tempo e diria que a inocência de American Pie era bem mais gostosa de ver. Para as meninas, Guerra é Guerra é mais engraçado que esse; mas, sem dúvidas, é o que é e nenhuma firula a mais! Epic party indeed!

Se alguém for ao cinema esperando uma obra de arte é um banana (nossa! Não escuto isso desde quando fazia vôlei de quadra, em 1998). Vamos à sinopse: Três garotos do último ano de highschool — que são uns losers by the way — aproveitam que os pais de um deles vão viajar e organizam uma festa no casarão com piscina para ganhar popularidade e pegar mulher. Obviamente que tudo dá errado e a merda vai parar no ventilador e ainda explode! Não no sentido literal, não se preocupe! De piadas escatológicas já basta Jackass! De qualquer forma, o sobrenome dos malucos — do Costa pelo menos — poderia ser “merdeiro-mor”.

Por incrível que pareça, gostei muito do jeito que eles montaram a trama e os acontecimentos mais bizarros. (Não vou entregar spoilers!) Os ganchos e as explicações para o que acontece são sensacionais! E apesar do filme ser para garotos — ou melhor, moleques, rs —, não chega a ser absurdo, nem tem só piada pronta. É espontâneo, quase improvisado. Lógico que não é a coisa mais original do mundo, mas não chega a ser deprimente como muitas comédias de highschool americano que a gente vê por aí.

Uns vão amar e outros vão odiar. Os elementos bobos estão todos lá; as cenas bizarras a la Se Beber, Não Case — dedo dos produtores Scott Budnick e Todd Phillips certamente — são épicas! O objetivo foi alcançado e o resultado é o que se espera. Ninguém vendeu o produto enganando ninguém. Não vejo motivo para não gostar do filme se a pessoa que optou por vê-lo já conhecia o enredo.

Vivi Maurey

Apesar de não ser desse planeta acha que sabe conviver com os humanos só porque leu os livros de Tolkien. É nerd, fã de séries e pretende publicar livros.

OndestouTwitterFacebookMais Posts

Leia também:



Comentários

Deixe Uma Mensagem »