Música

Pearl Jam Faz Show Marcante no Rio

Pearl Jam no Rio 2011

Há uma razão para o Pearl Jam ter chegado aos vinte anos de existência. E a comemoração não poderia ser melhor. A banda norte-americana continua com o gás de seus primeiros anos e promoveu na Praça da Apoteose, no Rio de Janeiro, um show que vai ficar marcado na memória e no coração dos milhares de fãs que lotaram o lugar. O público pulou, cantou junto, bateu palmas em uníssono, levantou as mãos ao céu e chorou com o retorno triunfal do grupo a cidade depois de seis (longos) anos.

O evento transcorreu com uma tranquilidade impressionante para um show deste porte. Filas andando rápido e nada de confusões. Notei alguma exaltação somente em relação à equipe de apoio do evento (justamente que devia ter mais cabeça fria). Eles não tinham tato para lidar com as pessoas. Na entrada, ouvi um deles falar uma piadinha ofensiva para um fã que estava se dizendo ansioso pelo show e o fã estava conversando com um amigo, sequer estava falando com o “engraçadinho”. Outro caso foi numa das filas de comidas/bebidas, onde eu vi uma pessoa dizer que estava insatisfeita com o atendimento (que era uma puta desorganização). A pessoa reclamou e um membro do apoio chegou falando alto, ordenando que ela calasse a boca e dizendo que a colocaria para fora da Apoteose. Pagamos caro pra caralho para estar lá e não tínhamos direito de reclamar, sério isso?! Para completar, ainda havia os ambulantes que vendiam cerveja no meio da galera. No meio do show, meus amigos e eu estávamos comprando cerveja a R$ 6,00 (o absurdo preço da cerveja lá dentro). Compramos algumas latas, bebemos, e dez minutos depois, fomos comprar de novo… o preço tinha subido para R$ 8,00 (segundo o ambulante, por ordem da organização do evento). Porra, tavam de sacanagem, né! No fim das contas, não compramos mais cerveja e ainda convencemos as pessoas que estavam do nosso lado a não comprar também. Como se R$ 6,00 já não fosse caro o bastante!

Todavia, problemas existem e, infelizmente, sempre vão existir nestes eventos. Não é algo que acabe com a noite. E, de fato, foram agulhas no palheiro de EPICIDADE que assistir ao Pearl Jam ao vivo significou (eu não fui em 2005).

O show começou com trinta minutos de atraso, mas foi um atraso aceitável. Quando entrou no palco, o Pearl Jam levou a galera ao delírio com seu rock ora empolgante ora melódico, mas que não deixava o público ficar parado um só instante. A empatia da banda com os fãs era inegável. As quatro primeiras músicas — Unthought Known, Last Exit, Blood e Corduroy — foram para entrar com o pé na porta, tocadas numa sequência que não deixou os fãs pararem para pensar ou respirar. Depois, algumas músicas mais lentas deram uma acalmada no público até a canção Even Flow. Na hora que o clássico do Pearl Jam tocou, a Apoteose veio abaixo. O público cantou junto e com vontade. O vocalista Eddie Vedder era a animação em pessoa, acompanhado por seus fiéis companheiros Jeff Ament, Stone Gossard, Matt Cameron e Mike McCready. Para completar a animação, outros três clássicos levaram o público ao frenesi — Jeremy, Do the Evolution e Alive. No meio de tanta adoração, fica até difícil apontar um ou outro momento que tenha sido melhor, porque tudo era cantado e aplaudido. O público ainda acompanhou algumas músicas com o célebre “ô ô ô”, que surgiu em 2005 (pelo que um amigo me disse) e era incentivado pela banda. E a noite ainda teve homenagens. Os Ramones foram lembrados com I Believe in Miracles num momento realmente emocionante do show, e o Pink Floyd foi ovacionado com a música Mother. Foi bonito pra caramba!

Eddie Vedder provou que é um verdadeiro showman ao conduzir a galera com simpatia e carisma. Ele interagiu o tempo todo com a plateia, que respondia com fervor a cada canção. Vedder, inclusive, arriscou algumas palavras em português — palavras que às vezes, quem diria, conseguiam a façanha de travar a língua de uma das vozes mais proeminentes do meio musical. E por falar em voz, que vigor! O cara não perdia o tom, não desafinava, manteve o ritmo durante as quase três horas de apresentação. O Pearl Jam mostrou que ainda tem força em suas canções e que, acima de tudo, produz um rock de genuína qualidade. É o que há de melhor em termos de rock’n’roll. Tamanha disposição só confirma a vitalidade da banda mesmo depois de vinte anos… e garante a nós, fãs, a certeza de que podemos sonhar com o Pearl Jam durante mais alguns bons anos.

O show do Pearl Jam foi FODA!

Setlist:

1. Unthought Known

2. Last Exit

3. Blood

4. Corduroy

5. Given to Fly

6. Nothing Man

7. Faithfull

8. Even Flow

9. Daughter

10. Habit

11. Immortality

12. The Fixer

13. Got Some

14. Elderly Woman Behind the Counter in a Small Town

15. Why Go

16. Rearviewmirror

Bis 1:

17. Just Breathe

18. Come Back

19. I Believe in Miracles (homenagem ao Ramones)

20. State of Love And Trust

21. Ole

22. Do the Evolution

23. Jeremy

Bis 2:

24. Mother (homenagem ao Pink Floyd)

25. Better Man

26. Black

27. Alive

28. Rockin’ in the Free World (música de Neil Young)

29. Indifference

30. Yellow Ledbetter

Compartilhe este Post

Posts Relacionados



Inscreva-se no Canal

Resenhas Populares

Rogue One: Uma História de Star Wars

Rogue One: Uma História de Star Wars

It: A Coisa

It: A Coisa

Planeta dos Macacos: A Guerra

Planeta dos Macacos: A Guerra

Animais Fantásticos e Onde Habitam

Animais Fantásticos e Onde Habitam

Raw

Raw

Siga no Bloglovin’

Follow

Vem Com a Gente

Curta e Compartilhe

Aperte o Play

Nível Épico em Imagens