Animes

Highschool of the Dead

Highschool of the Dead

Highschool of the Dead (2010) me surpreendeu. Ultimamente, a maioria das animações japonesas recorre à sensualidade, explícita ou não, para chamarem a atenção do público masculino. Em geral, eles tornam-se meros hentais (desenhos pornográficos) disfarçados (já que pregam não ser) com histórias sem pé nem cabeça cuja única motivação é a putaria. Estes animes, classificados como ecchi (ou seja, com muitas cenas sensuais), são lançados aos montes a cada temporada, como pragas mesmo, e raríssimos são os que realmente prestam. Highschool of the Dead é uma dessas raras exceções.

O desenho tem, sim, muita sensualidade, porém, apresenta mais. Como de praxe, o anime é baseado num mangá de seis volumes com 26 capítulos, escrito por Daisuke Satou e desenhado por Shouji Satou. A trama acompanha um grupo de estudantes tentando sobreviver a uma infestação de zumbis que tomou conta de sua escola e de sua cidade. Takashi Komuro é o protagonista e, cercado de mulheres o tempo todo, acaba despertando algum tipo de interesse em todas as garotas do grupo. Ele é apaixonado por Rei Miyamoto, sua amiga de infância que está namorando outro amigo seu, Hisashi. As relações no desenho são conturbadas e isso é deixado bem claro logo no começo, quando Hisashi é infectado pelos zumbis e Takashi não hesita em matá-lo pra proteger Rei. Juntam-se a eles: Saya Takagi, uma menina extremamente inteligente e arrogante; Saeko Busujima, uma espadachim fodona; Shizuka Marikawa, uma doutora peituda e alienada que trabalha na enfermaria da escola; e Kouta Hirano, um nerd viciado em armas de fogo e um tanto psicótico (aliás, um dos personagens mais engraçados do anime).

Todos se juntam em prol da sobrevivência, mas enquanto tentam fugir dos zumbis, acabam descobrindo sentimentos que acreditavam não possuírem. Os dilemas morais são comuns na série e trabalhados de forma primorosa. Como em qualquer história que envolva zumbis, a análise do comportamento humano em situações de perigo se faz presente. Mesmo com o número reduzido de episódios, 12 no total, o desenho consegue mostrar o quão vil ou corajosa pode ser uma pessoa numa sociedade imersa no caos e com medo do desconhecido.

Rei, Saya e Saeko

O episódio 07 é categórico nesse sentido ao mostrar os dois lados da moeda. Primeiro, quando os sobreviventes conseguem um refúgio e Saeko diz a Takashi — “Os vivos se reunirão aqui quando notarem a luz e nossos vultos. E, claro, nós não temos a habilidade para ajudar todos que ainda vivem”. Segundo, quando um pai é brutalmente assassinado por vivos quando está pedindo abrigo pra sua filha pequena e Takashi se enfia no meio dos zumbis pra salvar a garotinha; em meio a uma cena de ação foda, Saya chega perguntando — “Que confusão é essa?” —, a quem Rei, enaltecida, responde — “Aconteceu algo bom. Notamos que ainda somos humanos”. Os personagens passam boa parte do anime tentando lidar com seus conflitos internos sobre o bem e o mal, o que torna o enredo ainda mais interessante.

O anime é belíssimo visualmente, com desenhos impecáveis e bem delineados que mesclam bem o teor sombrio com a temática escolar. Apesar do clima pesado, com muito sangue e violência, Highschool of the Dead faz bom uso do humor pra suavizar os episódios e a sensualidade normalmente é inserida com esse fim. Embora seja nitidamente um fanservice para o público masculino, já que o enquadramento sempre foca em bundas e peitos, o ecchi não é explícito. Funciona mais como um alívio cômico do que como pornografia. Além disso, convenhamos, zumbi = terror = mulheres nuas = fato!

Outra coisa que achei muito legal é a nomenclatura dos episódios. Todos, sem exceção, fazem alguma brincadeira com a ideia dos mortos invadindo a sociedade, sempre usando a palavra “dead”; por exemplo: 01- Spring of the Dead, ou 03- Democracy under the Dead, ou 06- In the Dead of the Night.

Rei e Takashi

Para completar, a trilha sonora é exemplar, desde as músicas internas até a abertura e os encerramentos. Cada episódio conta com uma música diferente de encerramento, enquanto a abertura empolga com a batida agitada da canção Highschool of the Dead, interpretada por Kishida Kyoudan & The Rockets Akeboshi e produzida especialmente para o anime.

Por enquanto, apenas os 12 episódios supracitados foram lançados, o que equivale aproximadamente ao capítulo 18 do mangá. Logo, o anime termina em aberto. Porém, um OAV já foi anunciado para 2011 com a provável função de cobrir os últimos oito capítulos do mangá e encerrar a série.

Enfim, Highschool of the Dead é uma grata surpresa.

Para quem gosta de zumbis… é um prato cheio de miolos! :-)

Nível Heroico



Compartilhe este Post

Posts Relacionados



Inscreva-se no Canal

Resenhas Populares

Rogue One: Uma História de Star Wars

Rogue One: Uma História de Star Wars

It: A Coisa

It: A Coisa

Planeta dos Macacos: A Guerra

Planeta dos Macacos: A Guerra

Animais Fantásticos e Onde Habitam

Animais Fantásticos e Onde Habitam

Raw

Raw

Siga no Bloglovin’

Follow

Vem Com a Gente

Curta e Compartilhe

Aperte o Play

Nível Épico em Imagens