Cinema

O Último Mestre do Ar

O Último Mestre do Ar

M. Night Shyamalan é um cara cujos filmes eu particularmente gosto. Não sou fã incondicional, mas alguns filmes muito criticados, como A Vila e A Dama na Água, não são tão ruins quanto pintam por aí. Ele é um cineasta de altos e baixos… e com este O Último Mestre do Ar (The Last Airbender), conseguiu um ponto negativo em sua carreira.

O filme não é uma desgraça total, mas está muito aquém do que poderia ter sido. Todavia, admito que a expectativa ajudou bastante no meu desgosto para com a produção. O Último Mestre do Ar é uma adaptação do desenho animado Avatar: The Last Airbender, exibido aqui pela Nickelodeon. A série conta a história de Aang, o último mestre do ar do título, que nasceu como o Avatar de sua geração, ou seja, aquele que é capaz de manipular os quatro elementos e, consequentemente, pode guiar o destino do mundo. Porém, ele foge de sua responsabilidade e acaba sumindo durante 100 anos. Quando retorna, descoberto pelos irmãos Sokka e Katara, da Tribo da Água, ele se vê num mundo tomado pela guerra, dominado pela tirania da Nação do Fogo. O mundo fictício mistura artes marciais e mitologia asiática com magias elementais. Com uma história cativante e personagens maravilhosos, o desenho é um dos melhores que já tive o prazer de acompanhar. Contudo, não posso dizer o mesmo de sua adaptação cinematográfica.

Para começo de conversa, no longa, todos os elementos de fizeram da animação um ícone são descartados em prol de contar a história de 20 episódios o mais rápido possível nos 103 minutos de duração. É nesse ponto que o filme fracassa miseravelmente. Shyamalan se limitou apenas a copiar as cenas do desenho numa colcha de retalhos costurada pela narração da personagem Katara, que acaba se tornando maçante. Cinema é uma forma de arte na qual uma história é contada através de imagens. Em O Último Mestre do Ar, as imagens são restringidas aos combates e aos efeitos visuais, enquanto a história nos é contada pela dobradora da água sem que possamos realmente vê-la. Para quem viu o desenho, principalmente, é difícil de aturar. Com 30 minutos de projeção, eu já estava de saco cheio, torcendo para que o filme acabasse logo.

Os personagens (e respectivos atores) também não ajudam (e nem são ajudados pelo roteiro). Noah Ringer (Aang) como ator é um ótimo artista marcial; sim… o personagem mais emocionante da série torna-se na película o mais apático. Os outros atores não demonstram muito a que vieram e conseguem fazer pouco por seus personagens. Sokka, então, foi um dos mais descaracterizados, sem suas tiradas engraçadas e uma relação com a Princesa da Lua conduzida de uma forma extremamente forçada e sem graça. Isso, sem falar, dos personagens que apareceram e não deveriam (Senhor do Fogo Ozai) e dos que não apareceram e deveriam (Suki, que, aliás, fez falta para o desenvolvimento do Sokka). No fim, os únicos que merecem algum destaque são o ator Dev Patel, que emprestou alguma dramaticidade ao Príncipe Zuko, e a atriz Nicola Peltz, que ficou bem mesmo com toda melancolia imposta pelo roteiro à Katara.

Aliás, falando em alterações, outro ponto que sempre afeta as produções de Shyamalan é seu próprio egocentrismo. Por que diabos ele mudou a Nação do Fogo de uma descendência chinesa imperial para uma etnia indiana sem sal?! Só posso imaginar que ele queria de qualquer jeito inserir sua própria cultura no filme. Não ia me espantar se ele próprio surgisse na tela atuando como o principal responsável pela salvação do mundo (ops… ele já FEZ isso em outro filme!). Não obstante, as Tribos da Água, que eram inspiradas nos esquimós, se tornaram um bando de dinamarqueses loiros e de olhos azuis, mas ainda com vestimentas de esquimós. Vai entender.

Enfim, O Último Mestre do Ar é apenas um apanhado de momentos da série costurados de qualquer forma num roteiro atropelado e sem qualquer emoção. As cenas de ação são fracas, os efeitos visuais das dobras (ou dominações, dependendo da dublagem) são limitados e o humor (uma das principais marcas da série é escasso. O longa só vem para provar duas coisas: que Shyamalan precisa reaprender a fazer cinema e tratar urgentemente do seu ego; caso contrário, não vai lhe restar muito mais do que o ostracismo.

Ah… só para constar, o desenho é dividido em três livros que caracterizam temporadas de 20 episódios: Livro Um: Água, Livro Dois: Terra e Livro Três: Fogo. Naturalmente, a produção foi concebida como parte de uma trilogia, sendo que cada filme englobaria uma temporada. Portanto, com esse começo deprimente, não espere por continuações.

O máximo que esse filme vai conseguir são algumas exibições na Sessão da Tarde.

Nível Ínfimo



Compartilhe este Post

Posts Relacionados



  • Barbara

    o que sem graça eu me meu irmao adoramos esse filme espero que postem mais mais dizer que é sem graça já é de mais né quem disse isso.eu adoro esse filme vi o primeiro que foi feito e vou ver até ficzerem o ultimo.

    • http://www.nivelepico.com/ Alan Barcelos

      Oi, Barbara.

      Esta é uma opinião particularmente minha. Não gostei do filme pelos motivos que escrevi no post. Confesso que esperava mais desse filme.

      Eu adoro o desenho animado, mas o filme falhou feio em adaptar a animação para o cinema e, pior, falhou em FAZER cinema. A forma como o filme é construído, com história corrida e narração em cenas que deveriam ser mostradas em imagens, não é boa. Além disso, para mim, um filme não se sustenta só com efeitos especiais bonitos.

      Bem, eu não gostei do filme, mas sei que algumas pessoas, como você e seu irmão, gostaram. É questão de opinião. Mas, não espere por continuações, pois dificilmente elas acontecerão. O filme foi péssimo nas bilheterias e isto significa que ninguém vai querer investir mais dinheiro para fazer continuações de um fracasso de público e crítica (sim, porque eu também não sou o único que vi defeitos no filme).

      Você já viu o desenho Avatar: O Último Mestre do Ar, da Nickelodeon??
      Se sim, provavelmente sabe que o filme poderia ter sido bem melhor explorado se comparado ao desenho.
      Se não, aconselho que você pare para ver um dia… você vai se surpreender.

      Obrigado pelo comentário. =)

Inscreva-se no Canal

Resenhas Populares

Rogue One: Uma História de Star Wars

Rogue One: Uma História de Star Wars

It: A Coisa

It: A Coisa

Planeta dos Macacos: A Guerra

Planeta dos Macacos: A Guerra

Animais Fantásticos e Onde Habitam

Animais Fantásticos e Onde Habitam

Raw

Raw

Siga no Bloglovin’

Follow

Vem Com a Gente

Curta e Compartilhe

Aperte o Play

Nível Épico em Imagens